fbpx

Oficina auto: 8 Passos para recrutar os melhores profissionais

Oficina auto

Oficina auto: 8 Passos para recrutar os melhores profissionais

Uma oficina auto deve grande parte da excelência do serviço aos seus colaboradores. Desse modo, o recrutamento é um processo fundamental para o sucesso do negócio.

Para se destacar da concorrência, deve apostar numa boa estratégia de recursos humanos. Isto porque contratar pessoal que não cumpra determinados requisitos poderá colocar em causa a qualidade e a satisfação dos seus clientes.

Neste artigo, mostramos-lhe 8 passos para recrutar bons profissionais para a sua empresa.

 

1. Definir as necessidades da sua oficina auto

O primeiro passo para um bom processo de recrutamento é avaliar a necessidade de contratar novos recursos humanos. Comece por perceber se os serviços estão a ser realizados dentro do prazo e de acordo com o estipulado com o cliente.

É recomendável que faça a avaliação por setor (mecânica, pintura, chaparia, vendas, peças e serviços administrativos, por exemplo). Através dos dados recolhidos, perceberá quais as carências da sua oficina e que tipo de profissional se adequa às necessidades.

 

2. Definir o perfil do candidato

Depois de identificar o tipo de trabalhador pretendido, deve definir o seu perfil. Pode, por exemplo, querer alguém com bastante experiência e que assuma a chefia de algum setor da sua oficina auto. Por outro lado, pode necessitar de um funcionário mais polivalente. Estes critérios devem estar bem definidos para que o processo de procura e seleção do futuro colaborador seja simples.

 

3. Anunciar a oferta de emprego

Aposte em plataformas online, como os sites de procura de emprego, para anunciar a oferta. Poderá também fazê-lo na secção de recrutamento dos jornais ou nos centros de emprego. Desse modo, para além de divulgar as oportunidades de trabalho, estará a promover a imagem da sua empresa.

No anúncio, deve facultar os contactos da oficina auto e explicitar de forma objetiva o pretendido. Solicite toda a informação necessária para a avaliação das competências: currículo, carta de apresentação e comprovativos de experiência e formação.

 

4. Fazer a avaliação curricular

Após receber as candidaturas, toda a informação deve ser utilizada para fazer uma triagem. Assim, tendo em conta as necessidades e o perfil pretendido, conseguirá limitar o número de selecionados para a fase seguinte.

Uma vez escolhidos alguns candidatos, contacte-os e aproveite para apurar mais informações antes da entrevista. Esclareça dúvidas em relação ao currículo e à função pretendida. Dessa forma, poderá perceber se deve ou não avançar para a fase seguinte.

 

5. Realizar uma entrevista presencial

A entrevista presencial é a etapa mais importante de todo o processo de recrutamento. Pode significar o último momento antes da seleção. Portanto, é fundamental preparar-se bem antes deste encontro, para poder abordar questões que considere pertinente avaliar.

Damos-lhe algumas dicas para a condução da entrevista:

  • Crie condições para que o candidato descontraia, começando por fazer uma breve descrição da sua oficina auto;
  • Seja claro quanto aos objetivos da empresa e em relação ao posto de trabalho em causa. Ser transparente é um bom sinal acerca da cultura do seu negócio;
  • Quanto às questões a colocar ao entrevistado, faça-as de forma a ter respostas abertas ao invés de sim e não. Irá retirar informações mais relevantes;
  • Anote todos os aspetos importantes da entrevista. Esses dados serão fundamentais para proceder à escolha;
  • Seja claro nas condições contratuais propostas.

 

6. Selecionar o candidato

Após a avaliação curricular e a entrevista, chega o momento da decisão. Este é um passo que deve ser bem ponderado e, se possível, discutido em equipa. Todas as informações recolhidas têm de ser analisadas, a fim de perceber qual o perfil que melhor se adequa ao cargo.

Damos-lhe conta de algumas dimensões que deve ter em consideração:

  • Grau de motivação do candidato. Avalie este ponto através da forma como se preparou para a entrevista ou do conhecimento que tinha da empresa;
  • Conhecimentos técnicos e experiência no setor para o qual se candidata;
  • Disponibilidade e abertura para desenvolver novas competências técnicas e humanas. Perceba, por exemplo, se a pessoa participou em formações e se demonstra vontade para tal;
  • Avalie a ambição. Um trabalhador ambicioso pode ser um bom impulso para o crescimento da sua empresa;
  • Considere a forma como o candidato se vê no futuro. Demonstrar vontade de construir carreira na sua oficina auto poderá ser um bom indicador.

 

7. Dar formação inicial

O processo de recrutamento não termina no momento em que escolhe o candidato e este inicia funções. Com efeito, garanta uma formação inicial para que o funcionário se integre facilmente na empresa e ganhe autonomia na realização de tarefas. Dessa forma, o novo colaborador conhecerá rapidamente a cultura e dinâmica da sua oficina auto.

 

8. Promover um ambiente de trabalho positivo

Um bom ambiente no seio da sua oficina auto é fundamental para a motivação e satisfação dos trabalhadores. Assim, aumenta não só a produtividade e qualidade do serviço, mas também o período de permanência dos colaboradores na empresa. Como sabe, os processos de recrutamento e integração implicam custos para as instituições. Como tal, é conveniente que sejam bem-sucedidos.

 

Subscreva o nosso blog para obter dicas úteis para a gestão da sua oficina auto. Terá acesso a conteúdos sobre mecânica, logística, automóveis, formação e muito mais.

 


Subscreva o Blog

Aceito a Política de Privacidade*
Dou o consentimento para o tratamento de dados*

A Espogama está comprometida com a implementação do RGPD. Para podermos tratar os seus dados pessoais, necessitamos do seu consentimento. Clique aqui para conhecer a nossa Política de Privacidade.

Partilhe:

Publicar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

X